domingo, 15 de dezembro de 2019

Ressignificando o “Jeitinho Brasileiro”


Popularmente o “jeitinho brasileiro” é empregado de maneira depreciativa para uma série de
comportamentos, muitos deles relacionados à preguiça ou desonestidade. Existe uma
descrença internacional sobre nosso povo, mas há uma falta de orgulho incompreensível de
nos com nos mesmos, alguns chamam esse fenômeno de “Síndrome do vira-lata”.

Todo dia esse fenômeno é alimentado pela grande mídia que nos traz notícias de escândalos
de corrupção, violência, depreciação de patrimônio, degradação ambiental etc. Esses veículos
de notícias - propositalmente ou não, deixo para reflexão e conclusão do leitor – esquece de
nos informar muitas coisas boas feitas por mãos brasileiras.

Estudando sobre inovação tive contato com um fato ocorrido em 2017. Em janeiro daquele
ano aconteceu o lançamento de um satélite brasileiro no espaço, aqui já deu para aquecer o
coração, mas o surpreendente da notícia é que esse satélite foi construído por estudantes de
uma escola pública de Ubatuba-SP.

Esses estudantes não foram somente os primeiros a realizar isso no Brasil, eles foram o grupo mais jovem do MUNDO a ingressar na área espacial. O grupo foi coordenado pelo professor Candido Moura, da Escola Municipal Tancredo Neves, e o projeto intitulado de Ubatubasat.

Gostaria de colocar nesse artigo mais informações sobre a notícia, a respeito da experiência da escola, dos alunos e do professor. No entanto, os resultados do Google para esse evento são poucos, sem desmerecer a qualidade das publicações elas são pobres perante a quantidade de dados que gostaria de obter, que ultrapassam o valor investido pela Agência Espacial Brasileira ou a ficha técnica sobre o satélite.

Em resumo, podemos concluir que esses estudantes desacreditaram do conceito de incapacidade do estudante de escola pública, o professor desempenhou brilhantemente seu papel de provocador e o resultado foi um grupo de brasileiros ser o primeiro no mundo em uma área que é dominada intelectualmente por estrangeiros.

Bom lembrar que eles realizaram o projeto sem os recursos considerados ideais, deram um
“Jeitinho Brasileiro” e ultrapassaram todos Pedigrees.

Fonte g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao

Colunista da Aplitech Foundation
Thaís Fernandes
Economista, feminista e futura empreendedora social. Buscando seu lugar no mundo e formas de torná-lo menos desigual.


Aplitech ADM

Autor

Fique de olho nas novidades.

0 comentários:

Postar um comentário